As Repercussões do trabalho do Grupo

 

A Unidade de Pesquisas em Cianobactérias (UPC) foi  fundada em 1986 no antigo Departamento de Química (hoje Escola de Química e Alimentos) da FURG. Desde a sua fundação passou a interagir  na comunidade, através de treinamento, ensino, pesquisa e extensão.


Atuação

 

* Inicialmente (1986),  estabeleceu-se com estudos em Fixação de Nitrogênio por Cianobactérias publicando seus 3 primeiros trabalhos científicos, orientando 3 trabalhos de graduação e desenvolvendo um banco de cultivos em Cianobactérias de Água Doce e Marinhas - Primeiras cepas de cianobactérias fixadoras de N2 de campos de arroz, pântanos, marismas, estuários e zonas costeiras. 

 

* A partir de 1992 desenvolveu trabalhos ativamente na área das florações nocivas de cianobactérias. Expandiu o Banco de Cultivos já existentes, para cepas isoladas de florações nocivas no país. 

 

* Em 1994 a UPC associa-se a pesquisadores em análise de nutrientes (Prof. L. F. Niencheski) e toxinas (Prof. G. A. Codd) no primeiro Projeto Brasileiro de Estudos de Florações Nocivas em Águas Costeiras sob o apoio da Comunidade Econômica Européia (EEC) , FAPERGS e CNPq. Seguiram-se diversos trabalhos científicos  enfocando o controle das florações nocivas de cianobactérias no estuário da Lagoa dos Patos e estuário. Resultando também no início das orientações de mestrado e Doutorado (em cooperação).

 

* Entre os anos 2000 e 2010 a UPC atuou ativamente em análises de toxicidade de águas em consultorias em São Paulo, Brasília, Alagoas, Paraná, Ceará, Uruguai e em todo o estado do Rio Grande do Sul onde desenvolveu  um programa de cooperação técnica e de análises (Programa AGUAAN). Entre 2009 e 2011 a UPC participou da Revisão da Portaria da Potabilidade da Água no Ministério da Saúde (MS) em Brasilia até a sua publicação em 12 de dezembro de 2011 como Portaria 2914 do MS.

 

* A partir de 2011 com a migração para o Instituto de Oceanografia da FURG (IO) a UPC passou a priorizar os trabalhos nos ecossistemas marinhos e estuarinos diminuindo a atuação nos trabalhos em águas continentais. Também expandiu a sua linha de atuação as ficotoxinas produzidas por algas (diatomáceas e dinoflagelados) marinhas.

 

* A partir de 2014 no intuito de fixar a sua identidade nas linhas de atuação em ensino e pesquisa, o laboratório mudou a sua identificação para "Laboratório de Cianobactérias e Ficotoxinas" (LCF) estando localizado no Campus Carreiros da FURG junto ao Núcleo de Oceanografia Química do IO.

 

Linhas de Pesquisa

 

1. Bioquímica, fisiologia e ecologia de cianobactérias.

Pesquisadores: J S Yunes, Paulo S. Salomon; Alexandre Matthiensen.

 

2. Estudos Sobre Cianotoxinas, toxicidade das Florações de Cianobactérias.

Pesquisadores: J S Yunes, Janaína de Castro Leão, Luiza Dy F. Costa, Patricia

Ramos. Colaboradores externos: J. MonSerrat (ICB - FURG)

A. Matthiensen; Afonso Bainy (UFSC); L. Proença (IFSC); Vanessa Becker

(UFRN); G. Codd (Dundee, Escócia); K. James & A. Furhey (Cork, Irlanda). 

 

3.  Interação de Fatores Ambientais com a Formação de Florações Nocivas.

Pesquisadores: J S Yunes, Maria da Graça Z. Baumgarten;  L.Felipe Niencheski

(Hidroquímica, FURG); Pablo Guimarães, Juliana Tisca, Mariana Bernardi Bif.

 

4. Melhoramento de Técnicas Analíticas para a detecção de cianotoxinas em águas e em material biológico.

Pesquisadores: João S Yunes; Nérile Troca da Cunha; Gabriela Kolb.

 

5. Destino de cianotoxinas no meio ambiente aquático e estuarino.

Pesquisadores: J S Yunes; A. Matthiensen; Gilmar Lemes.

 

6. Remoção de Cianotoxinas em Estação de Tratamento de Águas.

Pesquisadores: J S Yunes; Luíza Dy Costa; Cinthia Almeida.

 

Disciplinas ministradas:

 

⇒ Cianobactérias e Ficotoxinas - Disciplina optativa para os 4º e 5º anos do curso de Oceanologia da FURG.

 

 BioEcologia de Cianobactérias - Disciplina permanente do PPGOceanografia Biológica da FURG. 

 

 Compostos Tóxicos das Florações de Algas – Disciplina permanente do PPGOceanografia Física Química e Geológica da FURG.